O PAPEL DA ESPIRITUALIDADE NA SUPERAÇÃO DE DIFICULDADES

12.01.2018

O PAPEL DA ESPIRITUALIDADE NA SUPERAÇÃO DE DIFICULDADES
 

Não deixa de ser curioso pensar no papel da espiritualidade na superação das dificuldades, quando se sabe que ela, na verdade, é a principal e mais adequada ferramenta para superar situações difíceis, e que está logo ali, sempre disponível, sempre ao nosso alcance.

 

Aborrecimentos, dificuldades e dissabores podem atuar como perigosos labirintos, se não tratados a tempo. Podem nos puxar para baixo, trazer desânimo, incutir negatividade, gerar sentimentos tóxicos e pensamentos confusos, carentes todos da menor percepção intuitiva. Por outro lado, se mantivermos a espiritualidade como fio condutor de nossas vidas, ela pode transformar-se numa corda segura nos momentos de dura travessia, que não nos deixará afundar. A espiritualidade consciente é capaz de apontar vias paralelas nas quais nosso espírito pode se elevar sobre o caos, sorver ar refrescante e encontrar a paz. Ela é a surpreendente brisa úmida que refresca durante a peregrinação pelo deserto.

 

Não menos importante é o seu papel no entendimento ou capacidade de lidar com aquilo que não pode ser modificado imediatamente. A espiritualidade concede força para as lutas justas, firmeza para a resistência e condução certa diante dos abismos que podem se abrir repentinamente na vida de cada um. Guimarães Rosa já dizia que “viver é muito perigoso”, e de fato um pouco disso é verdade para quem não se contenta em deixar a vida passar simplesmente diante de si. Viver é deixar-se lapidar pela vida, assimilar o aprendizado oferecido por vivências intensas, sejam elas doces ou amargas.

 

A espiritualidade viva pode lançar um facho de compreensão sobre qualquer dificuldade, indicando muitas vezes as peças faltantes na resolução de um problema teimoso. Por detrás de uma situação de dor ou até de desespero, a sua visão mais ampla enxerga as condições necessárias para o desenvolvimento de qualidades insuspeitadas, como criatividade, movimento próprio, motivação, propósito, coragem, habilidade de priorizar o que é essencial. Isso, sem falar da oportunidade de vivenciar alegria e mesmo felicidade, independentemente das condições momentâneas, pois a vida é movimento contínuo: uma hora se está em cima, outra embaixo, e tudo isso ensina a seu próprio modo. Ser feliz apesar de tudo, e sem depender de nada... que presente! Oportunidades talvez escassas aos marinheiros desejosos de navegar apenas em mares por demais tranquilos e suaves.

 

Diante de um acontecimento qualquer, por mais doloroso que seja, a espiritualidade surge sempre como uma porta aberta. Quando tudo se esvai e chega a ruir, é ela quem sobra, quem está lá de braços abertos para acalentar, consolar e instruir, lembrando novamente que diante da imprescindível necessidade de evolução, todos os problemas parecem de súbito menores. Porque passada a tormenta eles se mostram à nossa frente como realmente são: apenas algumas curvas mais acentuadas no caminho do desenvolvimento espiritual, que continua ascendente, conforme indicado pela infalível bússola da intuição espiritual.

 

Caroline Derschner
Roberto C. P. Junior

 

 



 

Please reload

Posts Recentes

16.04.2020

Please reload